NOVOS AMIGOS E DEPOK   

Hoje acordei com o mesmo gás de ontem, segui todo aquele ritual pela manhã. Chegando na academia liguei a esteira e comecei a corridinha. Geralmente eu ouço uma pedreira (Skazi – My Way) que me deixa muito mais instigado para “acelerar” (entendedores entenderão), hoje ,felizmente, coloquei uma outra playlist, a “Doidjeira” que criei no meu spotify há alguns meses atrás. Ela é mais tranquila e misturada, não segue uma sequência. Mas senhores(as), a corrida teve inicio com uma música que representava exatamente o que eu estava sentindo: “Feeling Good”, de Nina Simone. Pode até parecer clichê, além de eu costumeiramente ouvir no carro no trânsito por SP. Mas dessa vez, cada estrofe fazia sentido muito sentido. Vou até disponibilizar aqui embaixo pra tu ouvir e entender do que eu to falando de repente sentir o que eu senti…

rapaz, eu literalmente pulava na esteira. Do cacete, que começo de dia! Sigamos…

Saí daqui da casa umas 9h, já que havia marcado às 10:30 com a turma da AIESEC na Universitas Indonesia, que fica em Depok, cidade que fica ao sul de Jakarta. Pontualmente (importante destacar hehe), lá encontrei Fiqih (18), que cursa “Estudos Japoneses” e vai ser o meu “buddy” que é também voluntário. Esse é o cara que vai ficar ao meu lado durante todo o programa me ajudando com as traduções até nas aulas para as crianças e em alguma outra possível necessidade. Awal (17) Freshman na Universitas Indonesia, funcionário da AIESEC, fica mais com as burocracias e etc. E Rokhmatun, também da AIESEC que eu não sabia que estaria presente nesse encontro, mas que foi uma felicidade tremenda bater um papo com uma mulher de véu (primeira vez na vida a gente nunca esquece, rs). Bem, a conversa era para ser uma espécie de apresentação, e mostrar mais ou menos o calendário de atividades, como funcionaria e etc. Mas acabou em uma tarde inteira de conversas, passeios trocas de experiência. Eu curioso que sou, aproveitei que somos todos jovens mesmo e já tirei algumas dúvidas que tinha sobre a cultura deles. Mas entre todas as minhas curiosidades, posso destacar 3 respostas que foram de fato chocantes para mim. Primeiro que a Rokhmatun usa o lenço (neste calor dos inferno), só por costume mesmo. Nada religioso, ninguém mandou, não foi herança e muitas vezes as outras muçulmanas usam só porque acham muitxo atraente. Brincadeira, acham o lenço esteticamente bonito (garanto que essas aí vocês não sabiam). Segundo… Há uma grande quantidade de Chineses, e a convivência com os indonésios não é das melhores, é treta. De fato, existe um preconceito ou racismo que eu, na minha humilde opinião, dentre conversas em casa, pude concluir que é uma espécie de cautela dos Indonésios. São muitos chineses, e eles tomam grande parte da Indonésia, principalmente uma grande fatia na economia, talvez por serem mais ágeis e espertos (lembram do Trump Chinês Milionário que quer ser presidente em 2019 né?), e isso deve incomodar a população local. A treta é tão grande que o ex-governador (que é chinês) daqui, tá preso há 2 anos por blasfêmia,  um mal entendido de alguma coisa que ele falou que desagradou os muçulmanos mais radicais (oa o disse-me-disse, parecendo conversa de corredor de empresa ou das minhas tias jaracas), pois é, entre tantas tretas, não se pode chamar os chineses de CHINES (essa pronúncia em português mesmo) que é uma espécie de ofensa. Eles gostam de ter nomes de indonésios e serem tratados como …. Vai entender? Daqui pra 2 meses eu descubro mais desse rolo aí. E a terceira e mais importante e engraçada curiosidade de todas: Eles não tem café, almoço e jantar. Eles simplesmente comem quando tão com fome e comem o mesmo tipo de comida sempre (tudo almoço). É arroz de manhã com carne, e a mistura segue o dia todo. Só basta abrir um espaço na barriga que bota pa dentro. Descobri isso quando eles me chamaram pra comer no Campus da Universitas, e eram apenas 11:10. Perguntei se já era o almoço deles, mas não. Era só fome mesmo e eles me explicaram que é assim que funciona e cabousse. Neste exato momento faz 12 horas que comi o “Sate ayan” (espetinhos de frango com um molho aí, e um arroz num formato jamais visto pela humanidade) e continuo vivo, então acho que me dei bem. E olhe que um dia antes Leticia tava me ensinando como faz para comer uma salada com segurança aqui. É mais fácil preparar um filé a parmegiana, desde do inicio (matando o boi). Efim, rodamos na cidade, passamos por passarelas, fomos ao shopping, troquei dinheiro e agora sou milionário. Tão milionário que fiquei sedento para comprar uma câmera nova Nikon D3400 (4 versões na frente da minha – que está quebrada) por uma pechincha (R$ 1.476,00), se o feedbeck desse post for positivo (um doador depositar aquê), eu tomo coragem e desembolso. É isso, selamat malam, sampai besok!

This slideshow requires JavaScript.

3 thoughts on “NOVOS AMIGOS E DEPOK   

  1. claudiinha

    kkkkkkkkkkk lipinho, primeiro, vc está um ótimo blogueiro, texto engraçado, divertido e com ótimas descrições!
    Segundo, esse negocio de comer a qualquer hora sem precisar ser café, almoço ou jantar, vc já sabia que existia ao conviver cmg… nenhuma novidade.. mas, fiquei muito feliz de saber que outras pessoas compartilham da mesma lógica.
    Terceiro, que curiosidade isso do véu, to de cara, vou contar para minha amigas da faculdade e lançar uns véus em Yemanjah, vai que essa moda pega…
    Quarto, arrasou na camera! Tira mtas fotos, agr vc é um blogueiro real oficial!
    BJSSSS(LLLLLL)

    Like

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s